skip to content

Cookies no sítio web da UE

Utilizamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência possível no nosso sítio web. Usamo-los para fins estatísticos através do Google Analytics e não para recolher qualquer informação pessoal. Se não desejar receber cookies, altere assuas configurações a qualquer momento.

Continuar
 
 
 

Vencedores 2009

PRIMEIRO PRÉMIO

´´YOUrope needs YOU!´´ AEGEE em Cracóvia

"YOUrope needs YOU!" é projectado e planeado por membros do fórum de estudantes europeus AEGEE. O seu objectivo é permitir a estudantes do ensino secundário de toda a Europa tornarem-se membros activos da sociedade. Recorrendo a seminários, vamos aprofundar a sua compreensão dos assuntos europeus, mostrar as oportunidades que a Europa oferece e encorajar os jovens a aproveitarem estas oportunidades, recorrendo a métodos de educação não formal. O projecto foi concebido por uma equipa internacional durante uma sessão do "Escola Europeia 2", um curso de formação avançada centrado no desenvolvimento de projectos a nível europeu. No âmbito de um estudo que realizavam, os promotores constataram que nas aulas, a Europa é muitas vezes apresentada como um conceito artificial e reduzida à sua história e fronteiras geográficas. O facto de não serem aplicados quaisquer métodos interactivos ou não formais agrava a falta de interesse em relação à Europa e aos assuntos e valores europeus entre os estudantes do ensino secundário. Para alterar esta situação, o "YOUrope needs YOU!" aborda estudantes universitários que estejam dispostos a partilhar o seu conhecimento organizando seminários em escolas e presta-lhes formação de formadores. As primeiras formações foram realizadas na Alemanha e nos Países Baixos, e terão lugar mais três na Polónia, Espanha e Turquia. Munidos de um folheto criado pela equipa do projecto, que resume todos os factos que vale a pena conhecer sobre a Europa e a UE, o multiculturalismo, a identidade e os valores europeus e que inclui ainda orientações sobre a forma de organizar um seminário, e formados por peritos de cada domínio, os participantes deverão organizar seminários em escolas. Em Dezembro de 2008, teve lugar o primeiro seminário numa escola secundária em Gostyn, na Polónia. A Europa e as suas possibilidades foram apresentadas a alunos da Polónia e a 30 alunos em regime de intercâmbio provenientes de França. Os jovens demonstraram muito interesse no tema e nos métodos utilizados e acolheram com agrado a alteração do seu currículo. Actualmente, o projecto pode recorrer a pessoas de sete nacionalidades diferentes que trabalham em conjunto a título voluntário, originárias de Estados-Membros e de países terceiros e determinadas a partilhar a sua visão de uma sociedade tolerante e activa com estudantes do ensino secundário.

 

SEGUNDO PRÉMIO

´´Festival Européen de Théâtre Universitaire d'Albi´´ Acthéa

O Acthéa é um festival europeu de teatro universitário e espectáculos de rua. Este evento consiste numa semana de animação cultural - teatro internacional, concertos em vários estilos, espectáculos de rua. Tirando partido da experiência adquirida nos dez anos da sua existência, o festival ganhou forma e desenvolveu-se ao longo do tempo, e o seu sucesso de hoje demonstra o que alcançou - o Acthéa transformou-se no maior evento cultural em Albi organizado por estudantes. Este festival tem lugar durante uma semana em Abril. Todas as noites, o público pode assistir a duas peças no teatro de Albi, representadas com paixão por jovens estudantes universitários talentosos de toda a Europa. A semana é totalmente preenchida com actividades, incluindo um dia dedicado às crianças, a quem é proporcionado um primeiro contacto com a Europa e com as suas culturas através da música e de espectáculos de rua.

A equipa do Acthéa foi criada seis anos após a instituição da Faculdade de Engenharia de Minas de Albi-Carmaux, pelo Sr. Mathieu Lauras, então aluno daquela Faculdade. Actualmente, é uma associação de estudantes sem fins lucrativos associada à união de estudantes (BDE) na Faculdade de Engenharia de Minas de Albi. É composta por cerca de 30 estudantes de diferentes anos da Faculdade. Estes estudantes de engenharia decidiram participar no projecto nos seus tempos livres, a título voluntário e com a intenção de fazer do evento um sucesso. A experiência obtida nos anteriores 10 festivais constitui uma grande mais-valia.

O Acthéa representa uma oportunidade cultural para todos. Mais de 100 comediantes europeus actuam durante a semana, ajudando a animar a cidade e a desenvolver o festival. O principal objectivo do festival é abrir as portas do mundo do entretenimento ao público em geral, encorajando um intercâmbio entre artistas europeus e públicos franceses. Foi por isso que fixámos um preço de entrada simbólico de um euro e que a entrada nos concertos é livre. Para os verdadeiros entusiastas, foi estipulado um preço especial de três euros para toda a semana. Cada companhia de estudantes pode levar à cena uma produção na sua própria língua e partilhar a sua paixão pelo teatro. A preparação do palco, as formas de expressão oral, os movimentos corporais e a gesticulação são elementos decisivos para os actores se fazerem entender por um público estrangeiro.  
O festival de 2009 será mais internacional do que nunca - um conjunto de companhias de estudantes franceses e estrangeiros vai colocar em palco produções no teatro municipal de Albi. Este ano, vão competir oito companhias. Em particular, assistiremos pela primeira vez a actuações de uma companhia sérvia e de uma companhia russa. Vai ainda actuar, pela terceira vez, uma companhia constituída por jovens adultos deficientes - Papillons Blancs (Borboletas Brancas). O Acthéa deste ano, 2009, pode também ser resumido em alguns números: um orçamento de 18 680 euros, oito companhias de teatro francesas e estrangeiras em competição, peças de teatro com uma audiência superior a 200 pessoas por noite, 1 000 cartazes e 8 000 prospectos, e até 200 pessoas a assistirem aos concertos.

 

TERCEIRO PRÉMIO

"Oberkannte Unterlippe" Die Diplomaten in Gummistiefeln (Diplomatas de galochas)

"Oberkante Unterlippe" (Até Aqui) é o criativo título de um projecto prático de aprendizagem orientado para a ecologia e assente na investigação, em que jovens dos Países Baixos, da Polónia e da Hungria, em conjunto com os seus anfitriões em Soest, abordam um tema com dimensão política global. No discurso quotidiano, a expressão "Oberkante Unterlippe" implica que a medida está cheia, ou que o recipiente está prestes a transbordar, e aqui refere-se ao risco crescente de níveis de água elevados e cheias em zonas culturais com elevada densidade populacional da Europa Central, onde o progresso industrial provocou, ao que parece, a canalização de cursos de água naturais. Contudo, ao mesmo tempo, "Oberkante Unterlippe" é também o nome de um estudo específico de planeamento regional na zona inferior do rio Lippe, um afluente do Reno.

O projecto aborda o desafio político colocado pela protecção contra cheias, enquanto exercício democrático para as autoridades locais e uma missão que ultrapassa as fronteiras territoriais. As cheias ocorridas no Verão de 2007 recordaram-nos mais uma vez que a protecção contra cheias deve ser tratada com carácter de urgência, para que, em períodos de condições climáticas adversas, as pessoas que vivem junto aos cursos de água não se sintam sob a ameaça constante de que os rios extravasem as suas margens. Sendo os seres humanos os principais agentes das alterações climáticas e, consequentemente, do problema das cheias que lhes está associado, é nossa obrigação encontrar formas de resolver esse problema. Porque não encaramos a nossa observação do problema das cheias apenas como uma questão local, contactámos jovens nas nossas cidades geminadas de Strzelce Opolskie (Polónia), Sárospatak (Hungria) e Kampen (Países Baixos), demos-lhes conta dos resultados do nosso estudo do rio Lippe e convidámo-las a discutir o assunto connosco, em termos práticos, no local, porque a protecção da natureza e do ambiente não conhecem limites: é necessário analisar os problemas e desenvolver medidas numa base transfronteiriça. Posteriormente, essas cidades levaram a cabo estudos comparáveis de situações de cheias nos seus países: no rio Oder junto a Strzelce Opolskie, no Bodrog em Sárospatak, e no IJssel em Kampen. Pudemos, portanto, utilizar esses estudos como termos de comparação para a nossa investigação conjunta das zonas de leitos de cheias do Lippe onde foi recuperado o estado natural.
No Outono de 2007, reunimo-nos todos, como grupo de trabalho internacional, nas margens do Lippe, e realizámos estudos ecológicos e biológicos conjuntos. "Existem respostas locais para problemas globais?" − foi a pergunta que adoptámos como tema central do nosso projecto, em que existe uma ligação entre acção social e missões locais a uma escala global. O nosso objectivo é demonstrar que os resultados da globalização são sempre sentidos também a nível local e que eles afectam seres humanos individualmente, mas procuramos também - e acima de tudo - identificar caminhos de acção que conduzam a um empenho democrático por parte da sociedade civil. O que pretendemos não é a resignação em face da globalização, antes o encorajamento à participação e ao envolvimento activo. São esses os objectivos esperados do nosso projecto. Além disso, a comunhão de interesses criada pela ameaça de cheias sofrida pelas comunidades em que se situam as escolas participantes é um factor que une estas comunidades, no que respeita ao domínio abordado pelo estudo, conferindo-lhe uma dimensão que ultrapassa a de uma simples parceria entre escolas. Depois de cada equipa ter feito uma apresentação do seu estudo ecológico local, passámos 10 dias nos leitos de cheias do Lippe, estudando os efeitos demonstráveis do projecto que foi levado a cabo para recuperar o seu estado natural. Para isso, constituímos subgrupos com membros de várias nacionalidades, que estudaram em mais pormenor domínios temáticos individuais, como as análises da água e os estudos da flora e da fauna, mas que fizeram também apresentações gráficas e dramatizadas da situação e do ambiente. Os relatórios biológicos foram acompanhados do tratamento e da apresentação dos resultados de forma criativa e assente em elementos multimédia. Os resultados dos estudos demonstram que a recuperação do Lippe foi um êxito, pois a flora e a fauna naturais recentemente reintroduzidas estão a revelar-se uma solução eficaz para fazer face a níveis de cheias baixos e médios. Contudo, os dados mostram igualmente que os resultados do aquecimento global também são detectáveis nos bioindicadores da região do Lippe. Para concluir o projecto, organizámos um painel de discussão que incluía decisores políticos e participantes no projecto. Finalmente, enviámos uma cópia dos resultados práticos e uma lista de exigências de acção política e ecológica em todos os países envolvidos aos parlamentos e ministros competentes. Por intermédio do Dr. Peter Liese, deputado do Parlamento Europeu, que também participou no painel de discussão, o Parlamento Europeu e o Comissário da UE responsável por esta matéria também continuam a ser informados. O projecto obteve o reconhecimento de peritos ao mais alto nível quando ganhou o prémio ambiental da Renânia do Norte-Vestefália, atribuído no concurso "Jugend forscht" (Investigação entre os Jovens), em que alguns dos nossos participantes realizaram uma apresentação dedicada ao projecto. Preparamos actualmente a continuação do projecto: no Outono de 2009, organizaremos um evento nos Países Baixos intitulado "Efeitos das alterações climáticas no caso dos Países Baixos" (título de trabalho) sob a liderança dos nossos amigos neerlandeses. Esta iniciativa vai reunir jovens de cinco países (NL, PL, H, S e D). Será o nosso décimo quinto projecto europeu conjunto.

 .